Cursos para Arquitetura e Design de Interiores

Novidades sobre o mundo 3D, CAD e BIM

Como deve se portar um profissional de 3D:

Resolvi escrever este artigo para clarear um pouco mais os tipos de serviços que são executados por nós, e por que alguns custam mais e outros menos.
Existem dois fatores básicos, no que se refere a VALOR de um serviço 3D:

– O tipo de serviço
– A finalidade do serviço.

Um exemplo:

Eu já fiz uma série de quatro 3ds, para uma casa que estava em reforma, e o dono ganhou duas páginas em uma revista de vende de imóveis. Mas como estava em reforma, não poderia fazer fotos do lugar cheio de baldes de tinta. Por isso, o cliente enviou a planta, algumas idéias do estilo que queria e com isso modelei as cenas. Neste caso, o 3D era muito IMPORTANTE, pois estaria potencializando a VENDA do imóvel dele.

Outro caso parecido é quando modelamos produtos. Normalmene uma série de produtos renderizados, servirão para diversos fins: Material impresso e web. E pela qtde, vale MUITO mais a pena fazer o serviço em 3D do que arrumar as peças, contratar o fotógrafo, e cobrar por foto.

Mais um caso é ambientes internos:

Uma empresa que produz mobiliário, SABE que hoje, ao invés de contratar pedreiro, espaço, monatgem, iluminação, fotógrafo,etc, pode pegar um bom profissional em 3D e fazer isso, em sua casa. Conheço pessoas que tiram até R$6.000,00 Reais num render deste, e o cliente saiu no lucro, e muito satisfeito.

Nestes casos, pode-se cobrar o justo pelo seu trabalho, pois a pessoa REALMENTE VÊ O CUSTO E BENEFÍCIO para tal finalidade.

O problema reverso:

Muuitas pessoas trabalham com 3D juntamente com arquitetos onde a maior finalidade do 3D é apresentar uma idéia volumétrica de um espaço interno ou externo.
Mas ele para por ai. O 3D no máximo potencializará o entendimento do cliente.. e pronto. Infelizmente é mais um “agrado” do que algo obrigatório. Já pensou se um bom 3D fosse necessário para aprovação na prefeitura juntamente com a planta!? Ia ser lindo, não?
Mas ai mora o perigo.
Por que um bom profissional, não faz um serviço meia boca dependendo da finalidade do mesmo. Ele faz TUDO BOM. Só que acostumou-se,  a fazer bem e ser ma pago, por falta de experiência de Marketing de serviços. isso é culpa nossa.

Muitas pessoas trabalham com 3D juntamente com arquitetos onde a maior finalidade do 3D é apresentar uma idéia volumétrica de um espaço interno ou externo.
Mas ele para por ai. O 3D no máximo potencializará o entendimento do cliente.. e pronto. Infelizmente é mais um “agrado” do que algo obrigatório. Já pensou se um bom 3D fosse necessário para aprovação na prefeitura juntamente com a planta!? Ia ser lindo, não?
Um bom profissional, não faz um serviço meia boca dependendo da finalidade do mesmo. Ele faz TUDO BOM. Mas por medo de não pegar clientela ou perder o serviço, abaixa  as “calças”  e submete-se  a fazer 3ds a R$70 Reais.
Teve uma pessoa que pediu 4 renders pra ontem por R$70,00. Eu jamais faria, mas quantos que, mal usam qualquerprograma 3D e tem seus 16 anos, faria?
Isso acontece com toda a classe de designers.
Arquitetos que cobram o m2 a preço de banana, ao invés de potencializar outras qualidades suas, para valorizar seu serviços, pedem para estes clientes 3ds de quinta categoria. E sempre tem que faz.
Não seria melhor, o arquiteto embutir no m2 o valor de um bom 3d, e dizer ao cliente que ele vai ganhar uma fachada fotorealista da sua residência? Sim isso funciona e diariamente aqui onde trabalho!

Um outro problema são as grandes empresas que contratam um monte de estagiários, pagam uma micharia, pegam toneladas de serviços e cobram uma ninharia por um bom 3D. Ok, você como cliente pode se lixar com quem fez, mas se tiver um pouco de bom senso, sabe que isso, assim como outros prestadores de serviços, é abuso. na verdade o dono usa o 3d como um mero produto, o que ele quer é ficar rico a custa dos funcionários.

O que precisaria ser feito é que os profissionais como designers, arquitetos, e prestadores de serviços em geral, estudem mais MARKETING DE SERVIÇOS. Sabiam que o valor esta apenas em NONO lugar sobre o que um cliente quer sobre um serviço?
Se todo mundo VALORIZASSE seus esforços de estudo e soubesse comunicar como é trabalhoso e artístico uma criação 3D, os valores a o processo deste tipo de serviço iria melhorar e muito.
Dou aqui algumas dicas preciosas de como um profissional autonomo PRECISA melhorar sobre outros aspectos, principalmente no que se diz respeito a comunicação e conhecimento:

http://www.consultoriadomestica.com.br/cgi-bin/curso/m01/a01/acrobat/m01a01t02_como_vender_intangivel.pdf

Por fim, como diz Harry Beckwith, um dos melhores profissionais de venda de serviço do mundo:

“Cliente que vem pelo preço, vai embora pelo preço.”

Esta mais do que na hora de nós, profissionais 3D valorizar nossos trabalho, por que modelar, texturizar,iluminar, renderizar, não é fazer um logo no corel draw.

Daniel K.

Anúncios

10 comentários em “Como deve se portar um profissional de 3D:

  1. Luciana Paixão
    17 de setembro de 2009

    “por que modelar, texturizar,iluminar, renderizar, não é fazer um logo no corel draw”

    CONCORDO PLENAMENTE.

    Se isso tudo fosse fácil não era preciso estudar tanto e por tanto tempo!

  2. João Mendes
    17 de setembro de 2009

    Cara parabens pelo seu texto.. e seu senso crítico. Concordo em cada palavra, ponto e vírgulas em sua colocação. Tenho esse problema tbm, pois muitas vezes jah me aparecem clientes prostuídos…
    Se eu faço bem, quero receber bem.
    E ainda sempre vem com aquele papinho.. se fizer barato.. vc vai ter serviço sempre… MENTIRA! se eu fizer DIREITO terei serviço sempre.

    Novamente parabns! vou passar a acompanhar seu blog.. abração

    • Daniel Kroll
      19 de setembro de 2009

      è isso ai parceiro. Vamos valorizar nosso serviço, e estudar marketing de serviços, que, invariavelmente, com conhecimento em venda de serviços, mais o talento no 3D, estaremos no rumo certo! Obrigado!
      Dan Kroll

  3. marcus
    28 de setembro de 2009

    Olá Daniel, tudo bom?

    Gostei muito deste teu artigo e do outro “Como evitar o cliente que não paga?”.

    Concordo em genero, número e grau com 99,9% de tudo o que vc disse (rs)…
    O 0,01% de que discordo é o termo “agrado” que vc utilizou sobre o 3D hj. em dia…

    Pelo que entendi, vc quis dizer que algumas pessoas dizem que usam o 3D “apenas para fazer um AGRADO aos seus clientes”…. ou seja, são aqueles “NÓS CEGOS” que as vezes estão no comando de empresas e não tem a visão do potencial lucrativo que tem o 3D, que provavelmente usam uma cópia pirata do soft e que ENTREGAM DE GRAÇA um trabalho CARO de 3D.

    Sei que alguns usam do subterfugio “agrado” para escaparem de pagar bem o profissional de 3D ou até mesmo por que não sabem o valor de um bom 3D. Mas pela minha experiência o 3D é algo FUNDAMENTAL para potencializar vendas.

    Sem o 3D para poder VISUALIZAR o projeto ou um produto, acredito que de 70% a 80% dos clientes teriam dificuldades para entender o que está sendo exposto. O que dificulta a venda.

    Isto por que hoje em dia o VISUAL É MUITO IMPORTANTE.

    Mas encurtando a história, parabéns pelo que vc escreveu… gostaria de postar um link destas 2 matérias suas em meu blog, se não houver problemas.

    Um grande abraço e vamos continuar a luta para abrir os olhos das pessoas que estão iniciando neste mercado.

    Abs.
    Marcus

  4. luciano criciuma
    28 de setembro de 2009

    acho esse um assunto muito interessante, mas o problema é que todos esperam que os outros adotem esses procedimentos, e ninguém toma a iniciativa. quando mostro meu trabalho para o cliente ele acha lindo. mas não querem pagar 650,00 por uma fachada fotorrealista de uma casa geminada de dois pavimentos, e as suas plantas humanizadas. e olha que já acho isso muito barato, pelo investimento em tempo de estudo e pc bom pra trabalhar com isso.. estou muito decepcionado com esta atividade.

  5. Daniel Kroll
    28 de setembro de 2009

    Olá parceiros.

    Respondendo ao Luciano:

    Não é que a pessoa não paga mais caro, todo mundo negocia, e se vc cede, assim como outras pessoas cedem, ele SABE que vai achar alguém que faz mais em conta.. e ai que esta errado.
    Experimenta um bom profissinal 3D pagar o justo, pelo trabalho, e o cliente fazer 3,5 orçamentos e ver que não sai daquilo, se ele não vai acabar fazendo da mesma forma?
    Claro que vai.

    Marcos: é isso mesmo. esta certo, complementando o que eu escrevi, sem dúvida.
    Pode postar sim! Fique a vontade, e vamos “nefiar” na cabeça de quem trabalha com 3D, marketing de serviços, por que não adianta saber fazer 3D e vender a preço de banana.
    Um abraço!
    Daniel kroll

  6. renato (caroco3d)
    28 de setembro de 2009

    Cara, eu concordo plenamente com este artigo, pois tem muitos profissionais que estão iguais garota de programa, se prostituindo por vale transporte, no caso dos novatos ou até mesmo dos que digam que são profissionais, estão cobrando mixaria com pensamentos do tipo, antes um pouco do que nada, e acaba tirando a oportunidade dos grandes profissionais, estou atras de freela, empregos, mas uma arquiteta reclamou que estava cobrando muito por uma imagem, onde ela tinha pessoas que cobravam por 100 reais por imagem, não reclamei , apenas disse a ela: “Então vá e faça com ele, pois 100 reais não paga nem a energia que gasto para fazer sua cena, sabendo que vc vai ganhar muito com as imagens em 3d. Boa sorte para vc.”
    Hj está cada vez mais dificil achar freela como uns 2 ou 3 anos atras.

  7. marcioalep
    29 de setembro de 2009

    parabens pelo texto,pela rebatida nessa tecla,eh sempre bom repensarmos esse assunto,pra tentar melhorar as coisas.

  8. luis fernando
    1 de outubro de 2009

    Concordo com voces, se é assim na area 3d de maquetes, nem quero imaginar na area que eu mais gosto, animação para videos e FX.

  9. Edward W K Wandeur
    6 de outubro de 2009

    Concordo com você, valorizar nosso trabalho e o tempo que dedicamos a ele é fundamental. Sou Arquiteto a vinte e cinco anos e sei que no Brasil, assim como em muitos outros locais no Mundo, nossas Profissões são vistas como meros detalhes, quase sem importância, perto da “magnitude” de se ser um Engennheiro, por exemplo. Muitas vezes ridicularizados, como se a CRIAÇÂO fosse um simples detalhe perto da “amplitude” da tecnologia empregada para a sua concretização. Tudo isso faz parte de uma forma tecnicista estúpida de pensamento que permanece enrraizada na cultura Brasileira e na de outros países também. Infelizmente nossa classe de profissionais da área de criação é totalmente desunida e se move através do ego individual, fato que promove sua desvalorização perante nossa clientela. Não temos força, pois não temos união. A fome, muitas vezes, fala mais alto que a dignidade profissional e por ai vai……
    O empreendedor brasileiro ainda pensa pequeno e sua mentalidade não vai muito além do lucro imediato e não do investimento contínuo e permanente.
    Abraço.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado em 16 de setembro de 2009 por em Marketing de serviços.
%d blogueiros gostam disto: